SINDSEPEM/VAL leva Centenas de servidores da educação do município de Valparaíso de Goiás às ruas

Live Outubro Rosa
19 de outubro de 2021
Sindicato faz novos atos para cobrar o rateio da verba remanescente do Fundeb
21 de dezembro de 2021

Cobrança rateio do Fundeb(Foto: GilVanete) Costa/SINDSEPEM/VAL)

 A segunda mobilização deste ano, realizada pelo Sindicato dos Servidores Públicos Municipais e Empresas Públicas de Valparaíso de Goiás( SINDSEPEM/VAL) reuniu, nos dias 14 e 15 deste mês, diversos servidores da educação em defesa do rateio da verba remanescente do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb).


Servidores da educação em protesto (Foto: Gilvanete Costa/ SINDSEPEM/VAL)


No turno da manhã do 14, os profissionais da categoria se concentraram, juntamente com a entidade sindical que organizou e promoveu o ato, em frente a Secretaria Municipal de Educação (SME) do município. O momento representa um período de longas lutas em busca da garantia dos direitos da classe trabalhadora. É o que diz o presidente da entidade, Marcilon Duarte. “ O rateio do Fundeb precisa de uma aprovação de lei para que a sobra do Fundeb possa ser rateada. Falta vontade política da parte do prefeito(Pábio Mossoró ) e da secretária da pasta (Rudilene Alves). Isso denota desvalorização da categoria”, enfatizou ele.


servidores em frente a Secretaria Municipal de Educação de Valparaíso de Goiás (Foto: Gilvanete Costa/SINDSEPEM/VAL)

 


Além disso, o presidente da organização falou também do alto custo de vida do país por conta do aumento dos preços de produtos e serviços e informou que os salários dos servidores não são reajustados desde 2019 . “Em dois anos, a inflação aumentou e os salários continuam congelados. O nosso objetivo é resolver o mais rápido possível essa questão do rateio. Faremos vários atos para sensibilizarmos o Pábio Mossoró e Rudilene Nobre, a dividir os recursos com os trabalhadores da educação”, finalizou Duarte.


Professor Silvano, professor Pablo, o Presidente do SINDSEPEM/VAL à direita de vermelho, Diego Damasceno logo atrás e Wagner Barbosa(Foto: Gilvanete Costa/ SINDSEPEM/VAL)


Nesse sentido, analisando o tema central da mobilização, Diego Damasceno, secretário de finanças do SINDSEPEM/VAL, explicou que: ” é importante termos em mente que nossa defesa é que o dinheiro do Fundeb seja pago a todos os servidores da educação, e não apenas aos professores. Então, nada mais justo do que lutarmos por todos os trabalhadores da educação. Até porque os demais servidores da educação, com exceção dos professores, não receberão os aumentos do piso nacional do magistério. O que eu considero ser injusto, pois, todos fazem parte da busca por melhoria da educação no Brasil. Por isso, o rateio do Fundeb deve ser dividido entre todos”. Disse Diego sobre a unificação da luta em defesa de todos servidores da categoria, merendeiras, secretários escolares.


Diego Damasceno (Foto: SINDSEPEM/VAL)


Dando seguimento às manifestações, o ato da última quarta-feira (15), iniciou às 14:00, também na (SME). A escolha do local foi pensada de forma criteriosa e estratégica pelo sindicato uma vez que, é o ambiente de trabalho da secretária da pasta. De acordo com a direção do SINDSEPEM/VAL, a previsão é de que os atos continuem até que o prefeito elabore um projeto de lei e apresente na Câmara Legislativa para a divisão igualitária do valor excedente do Fundeb entre todos os servidores da educação municipal, sem exceção.

Ainda durante a manhã de ontem, 15, membros da direção do SINDSEPEM/VAL, representado pelo secretário geral do Sindicato, Jean Mourão, Natalia Cristina Moreira,  Ediléia Rodrigues e Bianca Dantas, segunda suplente, estiveram na Tribuna da Câmara Legislativa reivindicando o direito à verba do Fundeb.


Jean Mourão, Natalia Moreira, Ediléia Rodrigues e Bianca Dantas  Câmara Legislativa ( Foto: Gilvanete Costa/SINDSEPEM/VAL)

Durante a sessão, Ediléia discursou por 15 minutos na plenária da Câmara e deixou uma mensagem para todas as pessoas presentes: “nós nos dedicamos de domingo a domingo para ministrar as aulas do sistema remoto, comprando equipamentos e utilizando nossa internet para prestar o melhor serviço pela nossa comunidade de Valparaíso. Estamos aqui para cobrar do governo municipal uma lei que garanta o abono a todos os profissionais da educação. “Não estamos em busca de assistencialismo, como foi dito por alguns gestores por aí (secretária de educação). Nós trabalhamos e merecemos. Exigimos que a Constituição Federal seja respeitada. Queremos o abono/rateio do Fundeb”, pontuou Ediléia. 

 Para Jean, o pagamento da verba do Fundeb simboliza para a categoria: “uma compensação pelo trabalho que os servidores, os profissionais da educação tiveram, inclusive, com esses dois anos de congelamento de salário”, ressaltou o secretário geral do sindicato.


Ediléia na Tribuna da Câmara discursando (Foto: Gilvanete Costa/ SINDSEPEM/VAL)


Portando um cartaz com os dizeres: ” não vamos desistir, vamos lutar até o fim para que os nossos direitos sejam cumpridos”, Bianca e os demais representantes sindicais, exigiram, também, que o prefeito da cidade divulgue as contas sobre o uso da verba, pois, segundo eles, está faltando transparência.

É importante ressaltar que, durante os atos dos últimos dois dias, a entidade adotou os protocolos sanitários sugeridos pela comunidade médica-científica, como uso de máscaras, álcool gel, além de todos estarem vacinados para o combate à covid-19.

A direção do sindicato informou, ainda, que até o momento desta publicação, tanto a secretária da pasta, Rudilene Alves de Farias Nobre, bem como o prefeito da cidade, Pábio Mossoró, não haviam retornado ou tentado qualquer tipo de comunicação para  dialogar com a entidade sindical. 

Foto de destaque: servidores seguram faixa pedindo ao prefeito para pagar o rateio do Fundeb. (Foto:SINDSEPEM/VAL).

 

× Como posso te ajudar?